marketing de conteúdo 2

Marketing de conteúdo: O guia essencial para você começar

Se você é mais antenado nas tendências de marketing, com certeza já ouvir o termo “marketing de conteúdo” algumas vezes. Se você ainda não conhece este termo, se é apenas um entusiasta da área ou trabalha com marketing off-line, está na hora de se atualizar! Se trabalha com marketing digital, está passando da hora de entender como este novo modelo funciona. Mas não se preocupe, é para isso que a Acelera Digital preparou este guia.

AFINAL, O QUE É MARKETING DE CONTEÚDO?

A dinâmica do marketing de conteúdo é essencialmente simples: oferecer conteúdo em troca de confiança do cliente, mas na prática existem algumas variações. Basicamente, é uma estratégia, geralmente digital, de criar e distribuir conteúdo extremamente relevante para determinado público-alvo com o objetivo de atrair, fidelizar, capturar leads e se relacionar com clientes atuais. É uma estratégia baseada em um sistema de construção de confiança, onde o relacionamento da marca será crucial para a conquista da confiança do cliente, para que em médio e longo prazo as vendas sejam impulsionadas, a marca se torne uma autoridade no ramo e aumente a sua participação de mercado.

MAS E AS VANTAGENS DESSE MODELO?

São várias as vantagens que o marketing de conteúdo pode trazer para uma marca. Lembrando que cada estratégia é diferente e baseada em um objetivo específico, por isso, algumas empresas terão resultados diferentes de outras. Listarei aqui apenas as vantagens principais, mas este modelo possibilita muitas outras.

  • Relacionamento com os clientes

A partir do momento em que a marca passa a conversar com o seu cliente, ela começa a passar por um processo de humanização, onde o consumidor vai criando uma simpatia por aquela empresa. Um exemplo prático é a forma como a Netflix responde os seus comentários no Facebook. Os usuários comentam da mesma maneira como se estivessem falando com alguma pessoa próxima e a empresa responde no mesmo tom de voz.

marketing de conteúdo

 

  • Aumenta a visibilidade da marca

Quando a sua empresa está mandando bem nas redes sociais, o alcance orgânico (não-pago) tende a aumentar exponencialmente, pois quanto mais as pessoas compartilham e comentam determinado conteúdo, mais ele é exibido para outras pessoas. Em uma rede social, a ação mais difícil de se conseguir ter do usuário é o compartilhamento, mas voltando ao exemplo da Netflix, direto é possível ver publicações da empresa sendo compartilhadas pelos seus seguidores. É realmente um exemplo bem claro de como a visibilidade da empresa pode crescer cada vez mais.

  • Criar advogados da marca

Os advogados da marca, ou evangelistas, são aqueles fãs mais fiéis e que defendem organicamente a marca em caso de comentários negativos. São pessoas apaixonadas pela marca e a recomendam para amigos. Lembrando do primórdio do marketing, o boca-a-boca foi durante muito tempo a maneira principal de divulgar serviços e produtos. Hoje, apesar de não ser a única, continua sendo uma das mais importantes e é aí que está a importância do advogado da marca. A sua recomendação conta muito para influenciar novos clientes.

  • Aumentar as vendas

Essa é uma consequência que acontecerá a médio e longo prazo, mas sim, é muito provável que as suas vendas aumentem depois de fazer marketing de conteúdo. Isso ocorre justamente por causa da confiança construída previamente que faz com os interessados na compra se sintam mais seguros para efetuá-la.

  • Trabalhar o relacionamento também no pós-venda

Já dizia o ditado, melhor do que fazer um novo cliente é manter um na casa (ou um pássaro na mão vale mais do que dois voando 😉 ). A relação construída entre uma empresa e o cliente no pós-venda é importantíssima para determinar se este cliente se tornará fiel ou não.

Além destes pontos citados, trabalhar o marketing de conteúdo também pode gerar mais tráfego no website da empresa, uma maior taxa de conversão entre os seus visitantes, melhor posicionamento na busca orgânica de sites de pesquisa, aumento da quantidade de tempo gasto no site, assinatura em newsletters e muito mais!

De acordo com a ferramenta Google Trends, que mede a audiência de determinados termos de pesquisa, as buscas por marketing de conteúdo começaram a crescer consideravelmente de 2014 até agora, início de 2016. Em contrapartida, as buscas por marketing tradicional tiveram um pico em 2005 e nunca mais atingiram este nível de interesse.

marketing de conteúdo 2

 

Podemos entender este resultado como consequência direta do crescimento do marketing digital e também de uma maior conscientização dos benefícios do marketing de conteúdo. A alta concorrência e queda nas vendas obrigou as empresas a se atualizarem, pois quem não se adaptar a esta nova realidade do mercado, ficará de fora.

QUERO COMEÇAR A FAZER MARKETING DE CONTEÚDO

Apesar de muitos profissionais de marketing já entenderem que o marketing de conteúdo é essencial, a maioria ainda não sabe como fazer para começar. Antes de tudo, é importante entender que esta estratégia não se resume em posts em blogs, mas em uma maneira completa de envolver o usuário na mensagem que a empresa quer passar, através de conteúdo relevante e interação direta.

Para começar é importante definir a equipe responsável por esta área e de preferência, que tenham dedicação exclusiva para o marketing de conteúdo. É necessário definir quem irá realizar o planejamento, a criação de conteúdo e o monitoramento de resultados. Em alguns casos, quem realiza todas as funções é a mesma pessoa, mas conforme novos clientes forem chegando, ela pode se sobrecarregar e não desempenhar as tarefas com tanta qualidade.

Existem opções para a criação do conteúdo. Ele pode ser desenvolvido pela própria empresa, por uma agência terceirizada ou por uma mistura dos dois últimos, onde a equipe interna atua junto com a terceirizada. Esta última é a que costuma trazer mais resultados positivos. As vantagens de ter uma agência especializada na produção de conteúdo são várias. Ela possui o know-how necessário para desempenhar a estratégia da melhor maneira possível, além de entender as variações do mercado.

Independentemente da estratégia de produção de conteúdo adotada, é fundamental que a marca possua um planejamento documentado. Ele deve conter de forma clara os objetivos do trabalho, bem como detalhes dos conteúdos, como quantidade, tema, frequência e métricas a serem aferidas. Não existe um número ideal de peças a serem produzidas, isto variará de acordo com o objetivo de cada marca. No próprio planejamento terá que ter bem claro se o conteúdo será dirigido para qual etapa do funil de vendas, topo, veio ou fundo. Isto influenciará na quantidade de peças, bem como no conteúdo em si.

ESCOLHENDO O LOCAL IDEAL PARA O SEU CONTEÚDO ESTAR

Hoje em dia existem tantos canais e formatos de propagação de mídia disponíveis no mercado que é super comum existir uma verdadeira confusão na cabeça do planejador de marketing de conteúdo. Afinal, onde a minha empresa deve estar? Claro que não existem regras gerais, pois tudo depende do objetivo do negócio, mas podemos citar os formatos e meios mais utilizados e os seus pontos positivos e negativos devem ser colocados em jogo para determinar a sua importância dentro da estratégia.

Quanto as redes sociais, as mais comuns são Facebook, Instagram, Snapchat, Twitter e LinkedIn. Cada uma delas possui um público mais distinto e que procura pro coisas diferentes na internet. O Facebook seria a rede mais global, onde a maioria (mas não todas) das pessoas estão. Quanto as diferentes opções de formatos, podemos citar posts em blogs, e-books, infográficos, vídeos, e-mail marketing e por aí vai.

Este é um assunto que possui muitas particularidades e deve ser implementado de forma diferente para cada cliente. Esperamos que este post tenha sido útil e esclarecido algumas dúvidas sobre o marketing de conteúdo. Já trabalha nesse ramo e tem algo a considerar? Conte-nos a sua experiência! Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário. Vamos adorar ajudar!

curadoria de conteúdo

A era da curadoria de conteúdo

No últimos anos, houve uma verdadeira reviravolta no modo como a informação é criada e difundida. Antes, a informação seguia um fluxo unidirecional,  os grandes meios de comunicação detinham todo o poder midiático e apenas eles conseguiam fazer com que determinada informação alcançasse um grande número de pessoas, a comunicação de massa. Com a popularização da internet, tudo se tornou um canal de difusão de conteúdo: redes sociais, blogs, e-mails e etc. A partir daí, todos se tornaram produtores e consumidores de conteúdo ao mesmo tempo, fazendo com que o fluxo de informação assumisse uma forma multidirecional.

curadoria de conteúdo

Essa mudança no fluxo de informação causou uma verdadeira revolução no modo como assimilamos o conteúdo. A cada segundo ocorre o upload de milhares de centenas de arquivos no mundo e milhões de buscas são feitas no Google. É uma verdadeira avalanche de conteúdo que é criada todos os dias por inúmeros usuários com padrões de comportamento completamente diferentes. A enorme quantidade de dados nos obrigou a buscar a informação de forma cada vez mais rápida, para que possamos “ter mais tempo” para buscar mais coisas.

Surgimento da curadoria de conteúdo

O grande volume de arquivos fez com que surgisse um novo termo na área digital: curadoria de conteúdo. O termo não é novo e vem diretamente da arte, onde o curador realiza a organização, cuidado e seleção de obras de arte para exposições. Na internet, o curador de conteúdo tem como papel selecionar o conteúdo que mais se encaixa no seu objetivo de acordo com o seu público-alvo.

A curadoria digital possui 03 etapas essenciais:

  • Pesquisa: É nessa fase que o curador constrói uma rede de informações sobre o assunto que ele deseja abordar. Um bom curador possui uma lista com os principais blogs, portais, e outros links que são referência sobre o tema. Eu, por exemplo, possuo uma pasta nos favoritos com vários blogs de marketing digital, assim, me mantenho sempre atualizada sobre o que acontece no mercado. Se possuo um cliente sobre decoração, irei fazer o mesmo com blogs da área.
  • Seleção: A segunda etapa da curadoria é o momento de selecionar o que será relevante ou não. O famoso “separar o joio do trigo”. Observe qual o perfil da empresa e os interesses do público. Observe se o conteúdo irá acrescentar em algo ou será apenas para “fazer volume”. Se for apenas mais um na multidão de dados da internet, descarte.
  • Compartilhar: Chegamos na última etapa: o compartilhamento do conteúdo selecionado. O interessante é não apenas compartilhar o artigo, mas também comentá-lo. Deixe a sua visão sobre o assunto e agregue valor para quem está lendo.

Quando utilizar a curadoria de conteúdo

Nem só de curadoria ou só de criação de conteúdo sobrevive um portal. É interessante que você avalie o que mais será relevante naquele momento. Conheça o seu público-alvo antes de tudo e saiba o que ele procura, o que dá mais engajamento e gera mais interação com o conteúdo. Não esqueça que na internet, quem manda são os usuários. Se não fizer algo pensando neles, dificilmente dará resultado.

Caso deseje escrever sobre um assunto que já está saturado, existem poucas novidades sobre o tema e o que você for escrever não trará nada de novo: opte pela curadoria. Além disso, ao repostar algo interessante de outro produtor de conteúdo, você mostra para o seu usuário que não está apenas tentando se promover, mas antes de tudo, quer transmitir a melhor informação para ele. Caso o conteúdo encontrado não seja capaz de falar tudo que você necessita, capriche na criação de conteúdo e ofereça o melhor.

Mais dicas para quem deseja melhorar a sua curadoria de conteúdo:

  • Assine newsletters interessantes sobre o assunto do seu negócio, assim você fica sempre atualizado em primeira mão
  • Quem são os seus gurus? Siga-os em todas as redes sociais e absorva todas as dicas
  • Aproveite o seu tempo livre com podcasts. Na academia, no trânsito ou na hora de cozinhar. É sempre um bom momento ouvir quem é experiente em determinado assunto
  • Utilize aplicativos que salvam conteúdo para depois. Eu utilizo o pocket. Quando não tenho tempo de ler algo, salvo e mais tarde leio.
  • O Flipboard é um ótimo exemplo de como a curadoria de conteúdo pode funcionar. Crio revistas sobre meus temas de interesse e todos os dias recebo notificações de leitura.
  • Sempre dê os créditos para a fonte original! Mentira tem perna curta e cópia na internet dura menos ainda. É anti-ético copiar algo e não citar a fonte. Não faça com os outros o que não deseja que façam com você.

 

 

conteúdo é rei

A era do Marketing de Conteúdo

Ao longo da história comercial foram criados diversos termos para especificar ações mercadológicas distintas: marketing social, marketing verde, marketing de guerrilha, e por aí vai. No ambiente do marketing digital temos ouvido falar cada vez mais do Marketing de Conteúdo. Há quem defenda que essa é a única forma de se destacar no ambiente competitivo da internet.

conteúdo é rei

Afinal, o que é marketing de conteúdo?

Basicamente, é uma forma de atrair clientes e gerar engajamento através da criação de conteúdo. Assim, o seu público-alvo ficará mais envolvido com a sua marca e terá um motivo para visitar as suas páginas. Marcas maiores e tradicionais já possuem uma legião de fãs e podem ter curtidas e compartilhamentos sem fazer muito esforço, já marcas menores precisam “brigar” pela atenção do consumidor. Oferecer um conteúdo original e relevante em troca do acesso dele é uma maneira bacana para os dois lados.

Ele é mesmo a única saída?

Cada vez mais trabalhamos estratégias de marketing e de comunicação de forma integrada. Não podemos dizer que apenas uma estratégia é a mais adequada para todos os casos, pois isso depende muito do seu tipo de produto e do seu objetivo. No caso do Marketing de Conteúdo, ele é essencial para gerar engajamento e construção positiva de marca através da internet. O consumidor está saturado da publicidade tradicional, usa artifícios para bloquear banners e não gosta de ser interrompido. Quando ele se envolve com alguma publicação da marca, ocorre uma interação de forma não-invasiva, e esse é o maior diferencial.

Para ficar mais claro, trazemos alguns exemplos de Marketing de Conteúdo na prática: Páginas da empresa nas Redes Sociais, posts no blog corporativo, e-books, vídeos no canal do youtube, e muitos outros. Mas antes de sair por aí postando em todos os locais, é importantíssimo que haja um planejamento com a definição clara dos objetivos da empresa. Não podemos esquecer que toda esta técnica tem um fundo mercadológico, seja vender mais, atrair mais clientes ou conquistar reputação. A definição de objetivos é tão essencial quanto a execução. Depois de tudo planejado é que os posts começam a serem feitos.

Mas se engana quem pensa que o trabalho de Marketing de Conteúdo termina depois das publicações. A mensuração de resultados é uma etapa obrigatória para quem deseja saber se o investimento teve o retorno esperado. Ela também é importante para verificar se a estratégia está dando certo ou se precisa ser alterada. A maior vantagem da internet em relação às mídias tradicionais é o fato da mensuração ser muito mais precisa e quase em tempo real. Assim, o investidor sabe exatamente para onde está indo o seu dinheiro.

Gostou das dicas? Então fique ligado que este foi apenas o primeiro post sobre Marketing de Conteúdo aqui no blog da Acelera Digital. Toda semana terá novidade sobre o mundo do marketing digital.

Até mais!