pesquisa moveis planejados

Saiba porque a sua empresa de móveis planejados precisa investir em Marketing Digital

O segmento de móveis planejados está crescendo a cada dia. Os apartamentos que foram construídos no boom imobiliário de 2010 e 2011 começaram a ser entregues e a demanda por móveis personalizados só aumentou. Em muitos casos, este tipo de produto é o único possível de ser instalado na residência, devido a particularidades da planta do imóvel, o que acaba deixando o morador sem escolha.

Com o crescimento do mercado, a disputa se tornou mais acirrada, fazendo com que amadorismos não tenham mais espaço nem força para competir. Para administrar uma empresa de móveis planejados é necessário planejamento e também investimento em marketing e divulgação.

O marketing digital é um excelente aliado para o empresário do setor de marcenaria, seja ela residencial ou corporativa. É uma maneira eficiente de realizar a divulgação da empresa, construir valor de marca e ser lembrada pelo cliente. Hoje, com o crescimento e consolidação da internet e redes sociais, marketing digital é uma necessidade e não apenas uma alternativa.

Blog para lojas de móveis planejados

O blog é uma ferramenta excelente para divulgação da sua empresa. Neste tipo de segmento há uma super vantagem: as pessoas já estão acostumadas a procurarem informações sobre decoração e mobiliário em blogs, então, há uma demanda já criada por informações deste tipo. O blog corporativo auxilia no ranqueamento das ferramentas de pesquisa, fazendo com que a sua empresa seja encontrada com mais facilidade através do Google.

Além disso, é um meio poderoso de gerar valor para o cliente, pois você entrega o conteúdo que ele procura de forma natural. É importante que o blog seja mais do que um portifólio dos produtos da empresa. Ele precisa conter conteúdo relevante e interessante para o leitor. É um canal voltado para a informação. Por exemplo, o cliente já sabe que precisa de um painel de TV, mas ele pode querer saber como combinar o painel de TV com o restante da decoração. Ele quer dicas úteis e se encontrá-las no blog, passará a confiar mais na empresa.

Links patrocinados são essenciais

Google Adwords e Facebook ADS são importantíssimos para a divulgação da empresa. Ambos possuem mecânicas de funcionamento diferentes, mas que têm o mesmo objetivo final: levar o cliente até a sua empresa.

No caso do Google Adwords, os anúncios aparecem para o usuário que está pesquisando por aquele tipo de assunto. Ou seja, ele já possui a vontade de saber mais sobre aquele segmento. Ele está procurando por uma empresa de móveis planejados em determinada região e através do anúncio, encontra a sua. Há também uma outra modalidade, onde são colocados displays em websites aleatórios, mas que aparecerão para usuários que demonstraram interesse em móveis planejados, mas não necessariamente estão lendo sobre o tema naquele momento.

 

 

pesquisa moveis planejados

Já no Facebook, existem anúncios para uma quantidade maior de objetivos. Os mais comuns são focados em novas curtidas para a sua página, envolvimento com a publicação da página (curtidas e compartilhamentos) e cliques para o site. Por agora, falaremos sobre cliques no website. A ferramenta permite uma capacidade de segmentação muito grande, permitindo selecionar usuários de acordo com a faixa etária, região em que vivem e diferentes tipos de comportamentos. Podemos por exemplo, colocar um anúncio de móveis planejados para pessoas que se mudaram recentemente ou recém-casados. Assim, a chance de o anúncio atingir o público-alvo é muito maior.

A importância das redes sociais para lojas de móveis planejados

As redes sociais (Facebook/Instagram) são voltadas principalmente para o relacionamento com o cliente. Diferente de um anúncio no Google Adwords, por exemplo, você não deve ficar apenas vendendo a qualquer custo. Este é o canal adequado para realizar uma conversa com o cliente ou o interessado em comprar. Elas também podem atuar como central de reclamações e suporte, se tornando o chamado, SAC 2.0.

No caso do Instagram, a rede é essencialmente visual. Este é o segredo para se destacar. Poste imagens dos projetos entregues, sempre com fotos bastante chamativas e visualmente bem trabalhadas. Também é interessante mostrar um pouco do outro lado da empresa, fotografando reuniões e desenho dos projetos. Claro que o canal também pode ser usado para venda, mas o segredo é a moderação. Relacionamento em primeiro lugar e institucional em segundo.

O Facebook já permite uma conversa mais aprofundada. Não é uma rede tão visual quanto o Instagram, permitindo legendas maiores e também um trabalho melhor em ofertas e institucional da empresa. Lembre-se que ao conhecer uma empresa nova, muitos clientes vão até as redes sociais procurar por ela e verificar se é realmente confiável. Quem não está na internet ou não possui um perfil adequado, fica em desvantagem.

Estas foram apenas algumas dicas de marketing digital para lojas de móveis planejados. Ficou interessado em saber mais? Entre em contato conosco e deixe o marketing digital contribuir com o sucesso do seu negócio!

erros atendimento

Além do Marketing: Erros no atendimento que a sua empresa não pode cometer

Ao contratarem um pacote de serviços de marketing digital, alguns empresários acreditam que todos os problemas do seu negócio serão resolvidos de forma mágica e rápida e a sua empresa não terá que mudar nada no seu processo. Se você acredita nisto, prepare-se, pois tenho uma notícia surpreendente: não adianta o melhor marketing do mundo se o seu atendimento for um lixo. Como costuma-se dizer por aí, é assim que a banda toca.

erros atendimento

O atendimento é importante SIM!

O atendimento é um fator primordial para garantir o sucesso do negócio, conquistar e reter o cliente, independentemente do ramo em que se esteja atuando. O cliente, ao adquirir um produto ou serviço, espera receber sempre o melhor, pois está investindo o seu dinheiro e dependendo, o seu tempo também.

O maior erro é não treinar os colaboradores

Antes de passar para o processo de atendimento em si, o famoso balcão, é importante capacitar os seus colaboradores e organizar todas as estratégias do negócio. É fato que todos dizem que querem oferecer um serviço excelente, livre de erros. Mas poucos realmente definem o que seria esta excelência. É necessário estabelecer estes pontos e criar metas, como por exemplo, responder todas as reclamações em um período X de tempo, organizar todos os produtos de acordo com alguma característica, etc. É importante que tudo esteja documentado e que toda a equipe seja treinada e esteja ciente da importância de seguir todos estes passos para que o padrão de excelência do produto ocorra.

Além do digital: quando a compra está preste a ser concretizada

Partindo para a etapa de conquistar o cliente, imagine a seguinte cena: Uma empresa possui uma ótima fanpage no Facebook, muito engajamento no Instagram e um excelente site, mas ao chegar na loja o cliente se depara com um vendedor mal-educado e com desorganização no ambiente. Ao tentar efetuar uma compra enfrenta dificuldades tanto para experimentar o produto quanto para conseguir ajuda dos vendedores. É muito provável que ele não se torne cliente e ainda reclame em suas redes sociais.

Para conquistar o cliente é necessário entregar o que o seu negócio promete. Se for soluções rápidas, seja rápido. Se for economia, ofereça preços justos, entre outros exemplos. A sinceridade e a sensação de que pode contar com aquela empresa, seja para o que for, são pontos muito importantes para cativar o cliente. Algumas pessoas aconselham “não faça uma venda, faça um amigo”, mas eu vou além: construa uma comunidade de pessoas que amam e fazem parte da sua marca.

Depois de ter conquistado o cliente, chega a hora de construir o relacionamento. Ele deve ser verdadeiro e justo. Cuide bem tanto dos clientes satisfeitos quanto dos insatisfeitos. Muitas crises poderiam ter sido evitadas caso a empresa estivesse mais atenta às reclamações de seus clientes, principalmente em uma era de redes sociais, onde todos possuem voz para reclamar de algo que compraram e não atendeu às suas expectativas.

Será mesmo que o cliente tem sempre a razão?

Sempre escute o cliente, reconheça o seu erro e peça desculpas. Caso o erro não tenha sido da empresa, não parta para a grosseria e tente resolver da forma mais cordial. Jamais, em hipótese alguma, faça pouco caso do problema do cliente. No caso de clientes que nunca registraram reclamações, continue trabalhando no relacionamento. Envie brindes, newsletters personalizadas, faça contato por telefone. Não deixe que a memória da sua empresa seja esquecida.

Algumas pessoas não enxergam desta maneira, mas a verdade é que o sucesso (ou fracasso) de uma organização é determinado por cada pequena ação realizada em toda a sua história.

Caso a sua empresa invista em marketing digital, é muito provável que chegue contatos por diversos canais: redes sociais, telefone, e-mail. Independentemente do canal escolhido para o contato, é importante seguir com o profissionalismo e cordialidade que a sua empresa possui. Não fique querendo vender a qualquer custo, sem ao menos entender o que cliente precisa. Por mais que você não esteja vendo fisicamente o interessado no seu produto, ele existe e é tão importante quanto um cliente que vai até a loja.

Tratamentos frios, falta de emoção ou o contrário, como falso entusiasmo podem acabar espantando o cliente, ao invés de retê-lo. Lembre-se que é caro conseguir um novo cliente. Custa a moeda mais valiosa do mundo corporativo: o tempo, e não deve ser desperdiçado.

Educar o cliente é tão importante quanto conquistá-lo

Muitos clientes acabam exigindo demais do produto/serviço adquirido, colocando altas expectativas e até mesmo, exigindo demais da sua empresa. É preciso educá-lo para que entenda como o negócio funciona e crie metas mais reais. Esta “educação” pode até mesmo evitar futuros problemas no pós-venda.

Em suma: não prometa o que não pode cumprir, não destrate um cliente, trate cada novo negócio como único e jamais esqueça o quão poderoso um bom atendimento para o crescimento da sua empresa.

Gostou do post? Compartilhe a sua experiência sobre atendimento conosco! Estamos ansiosos para ouvir a sua opinião.

 

e-commerce de moda loja de roupas

E-commerce de moda: o guia completo

Quando as primeiras lojas virtuais começaram a existir, havia muito receio por parte dos consumidores. Comprar pela internet era algo novo e considerado arriscado. Comprar roupas então, era uma coisa impensável para a maioria das pessoas, afinal, não havia o contato físico com a peça, nem a possibilidade de experimentar.

A medida que os consumidores começaram a perceber as vantagens de comprar pela internet, os e-commerces de moda começaram a ficar mais fortes. Hoje em dia, há quem compre apenas pela a internet, seja por uma questão de otimizar o tempo, de poder comparar preços mais facilmente ou por morar no interior e não ter acesso a nas lojas físicas de sua cidade a tudo que deseja.

e-commerce de moda

Ainda vale a pena montar um e-commerce de moda?

 

Hoje em dia, existem tantas lojas na internet que muitas pessoas acreditam que não vale mais a pena montar um e-commerce de moda e que o momento de investir já passou. Este não é um pensamento válido, afinal, a concorrência pode ser um fator positivo para o negócio, forçando o empreendedor a destacar-se mais. Não é coincidência o fato de lojas referência em outros segmentos estarem acrescentando o departamento de moda. Esta é área muito lucrativa e prazerosa de se trabalhar.

Além disso, existem muitas lacunas que ainda estão abertas no segmento de e-commerce de moda. Por mais que existam muitas lojas de vestuário e acessórios, uma dica é apostar no segmento de nicho, que ainda está pouco explorado no cenário brasileiro. Pense em grupos que possuem demanda de mercado, mas que não encontram lojas especializadas em atendê-los, como por exemplo, vestuário plus size masculino, roupas produzidas de forma sustentável, roupas veganas (sim, isso existe!) e por aí vai. Lembre-se que existem oportunidades escondidas em todos os locais.

Quanto custa um e-commerce de moda

Não dá para dizer um valor exato, ainda mais sem saber como será o segmento e forma de distribuição. De qualquer forma, existem orçamentos para os mais diversos tipos de projetos. Um erro que alguns gestores cometem é o de acreditar que, por ser algo virtual, não terão muitos custos com o e-commerce de moda que planejam montar. Os custos existem e devem ser calculados, mas serão diferentes de uma loja no ambiente físico. Ao invés de calcular o valor do aluguel, o site precisará de uma hospedagem, por exemplo.

Na hora de acertar os detalhes da sua plataforma de e-commerce, lembre-se que a escolha não deve ser feita de acordo com o preço de cada uma delas, mas sim, de acordo com as suas funcionalidades.

Para dividir os custos, uma dica que damos, é para que o empreendedor separe uma parte (cerca de 60%) dos custos fixos para as ações de marketing digital. Blog, SEO, links patrocinados, entre outras ações, têm um custo importante e costumam gerar bons resultados, por isso, não podem ser ignorados em hipótese alguma.

Caso nenhum dos envolvidos no processo tenham conhecimento sólido para gerir o e-commerce, os custos de treinamento também devem estar calculados. Dentre esses custos podemos citar, consultorias e cursos.

É importante lembrar que os produtos revendidos através da internet também estão sujeitos à tributação do ICMS – Imposto Sobre Circulação de Mercadorias – ou seja, outro custo a ser calculado.

Finalmente, a hora de criar:

Para criar um e-commerce de moda os primeiros passos são bem parecidos com o de e-commerce e-commerce tradicional: planejamento, distribuição de verba, contratação de mão-de-obra terceirizada, definição de conceito, organização do estoque, fechar fornecedores, etc.

As principais particularidades estão na página de produtos. É o momento em que a empresa tem a chance de mostrar o seu posicionamento e destacar o que deseja vender. Mostre todos os detalhes do tecido. Se possível, invista em fotografias profissionais com modelos fotográficas. Investir em produção é garantia de uma melhor apresentação do seu produto.

Como fazer o marketing para um ecommerce de moda?

Como foi citado no começo do artigo, blog, SEO e links patrocinados são mais do que essenciais. Em uma estratégia de marketing integrada, cada uma das ações possui um objetivo definido, não existindo um canal melhor do que o outro para todos os casos, mas sim, ações complementares.

Links patrocinados são importantíssimos para que a empresa, literalmente, apareça no Google e no Facebook, já que no começo, ela não possui uma base de fãs/seguidores para acompanhar as suas novidades, muito menos conteúdo para impulsionar a busca orgânica. Em paralelo, deve ser desenvolvido o blog, oferecendo conteúdo de qualidade para o leitor.

e-commerce de moda loja de roupasAs redes sociais transmitem confiança e atuam como SAC 2.0 da loja, sendo um canal importantíssimo para resolver eventuais problemas e também para receber feedbacks. Além disso, o perfil no Facebook e no Instagram servem também como uma segunda vitrine, onde os produtos possuem a chance de atingir um público maior do que o que já estaria navegando na sua loja. Ter uma conta no Reclame Aqui, principal rede de reclamação ativa no Brasil, também é fundamental.

Por mais que as redes sociais sejam importantes, é essencial saber o momento de profissionalizar o negócio. Muitos vendedores atuam de maneira informal através do Facebook e do Instagram e acreditam que já fazem o suficiente. Por mais que o retorno esteja positivo, profissionalizar a empresa é sempre uma boa escolha. A rede social deve ser uma plataforma de comunicação complementar e não a principal.

Sobre o mercado de compras na internet

Segundo dados divulgados pelo Webshoppers, relatório produzio pelo E-bit, o tíquete médio de compras realizadas na internet cresceu 12% em 2015 em relação ao ano anterior. Neste mesmo período, a categoria “Moda e Acessórios” continuou como líder em volume total de compras, correspondendo a 14% do total. O total de pedidos faturados via e-commerce em 2015 atingiu a marca de R$106 milhões! Resumindo, se ainda existia algum receio para profissionalizar seu e-commerce de moda, é hora de repensar suas escolhas.